CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Carta para Marta Medeiros



"Com base nos textos trabalhados em sala, de autoria de Lya Luft e Marta Medeiros, escreva uma carta argumentativa, endereçada a uma das autoras acima referidas, respondendo à seguinte questão: "Você tem fome de quê?" Um dos argumentos deverá, obrigatoriamente, apoiar-se em uma idéia da autora a quem você não está se dirigindo, citando-lhe o nome. Sua redação será construída em estrutura de 4 ou 5 parágrafos. Faça uso do tratamento "a senhora", bem como do registro da língua padrão. Utilize caneta preta ou azul."

Rio de Janeiro, 01 de junho de 2009

Senhora Marta Medeiros:
Eu, pequena admiradora dos seus textos, venho por meio desta carta explicitar minha fome. Suas palavras foram bombas calóricas que me energizaram para falar, desconsiderando a balança do coração e os centímetros a mais na cintura da consciência. Hoje está chovendo aqui na Tijuca, e a água, ao invés de disfarçar a fome, deixá-la para mais tarde, faz meu estômago querer me engolir.
A paixão não é vermelha. Paixão é branca, e quando decomposta, reflete as sete cores. Eu tenho fome de paixão, fome de cores e de vida. A gravidade evidencia o peso do meu corpo, mesmo corpo que era leve e colorido, e que agora mendiga as migalhas de alguém que ignora seu estado morimbundo.
"Fome de confiança: ah, essa não dá para esquecer.", disse Lya Luft. A cura para minha fome está na autotrofização do meu ser, na minha autoprodução de felicidade e aconchego, na confiança em quem nunca me abandonou, ou mentiu: eu mesma. Sei que tenho que me alimentar, mas faltam-me forçar para levantar o garfo.
"A fome é mais violenta do que o desejo.", não me restam dúvidas. Mesmo querendo ficar, mesmo desejando desejar modernamente, minha fome todo dia grita que não nasci para isso. Tenho dois olhos, um nariz, uma boca e sou considerada perfeitamente inteira. Por que viver então com o coração aos pedacinhos? Vago pelas ruas tentando esquecer o farto banquete e procurando qualquer média requentada.
Reclamo da fome mesmo sem nunca ter conseguido ficar plenamente satisfeita com a saciedade. Fome de vencer, fome de ligações, fome de carinho, fome de presença, fome de consideração, fome de paixão. A vontade de comer cores, vida é o que nunca deixa a acomodação chegar e nos faz levntar da cama todos os dias.

Atenciosamente,
CBN



Beijocas :*

9 comentários:

Francisca Nery disse...

querida, também sou do TDB.. preciso falar contigo.. se você não chegou a receber meu recado, me avisa no orkut, o link tá no meu blog (:

Pedro disse...

Pra você não reclamar que eu nunca passo aqui .

Continua assim que a biomedicina te espera , o dinheiro também e a vaga como madrinha do meu filho também .. HAHAHAHAHA :) nem preciso dizer que te amo .

Milena Buarque disse...

Que perfeito! Adorei!

Prefiro "Com carinho e fome"! Rsrs!
Ficou muito legal!

Beijos,
;*

Vitoria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitoria disse...

ooii
tudo bom ?
dps visita o meu blog:
hitmelikearayofsun.blogspot.com
beijãao...

sou mais eu e vc? disse...

oii.. to passando aqui pq vi o seu blog na revista da capricho e então pensei q vc poderia me dar umas dicas de blog... criei um agora e tô meia rodada no meio disso tudo! se puder me ajudar eu agradeceria muito!!

Isaa♥ disse...

vc recebeu um selinho!
vale a pena conferir
http://wishees-of-happiness.blogspot.com/
beijocas@!

Sofia disse...

Ameeei o seu blog, principalmente por ser de uma carioca, come eu!

Ps. Já te botei no favoritos *-*
beijos,
Sofia
(http://pirulito-no-palito.blogspot.com)

disse...

A-D-O-R-E-I!!! mto bom mesmo..
seu Blog tá demais! tava lembrando aqui do tempo que agente fez catequese, nossa ri demais..tempo bom que não volta jamais! hehe saudades desse tempo...
Beijão e Parabéns pelo Blog!